controle de emissão de material particulado

Como fazer o controle da emissão de material particulado

A queima de combustíveis sempre foi responsável por diversos problemas ambientais, não só pela liberação de CO2 e monóxido de carbono, mas também pela emissão de cinzas e material particulado (MP), que podem apresentar características tóxicas.

Devido a esse potencial de toxidade, a emissão do material particulado (composto por uma mistura de diversas partículas muito pequenas suspensas na atmosfera) precisa ser controlada para também reduzir a poluição.

No caso das caldeiras industriais, a melhor forma para controlar a emissão dessas partículas é tomar medidas para controlar o processo de combustão. Este processo, quando bem realizado, contribuirá com a redução da emissão do material particulado.

Veja então o que são os materiais particulados e saiba como melhorar combustão para reduzir a emissão destas micropartículas à atmosfera.

[catálogo-100] Analisador de Gases de Combustão Economia de até 10% de combustível | Baixe grátis | COONTROL

Conceito e origens do Material Particulado

De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA), o material particulado é caracterizado como uma mistura de partículas de diversos materiais. Estas partículas são cerca de cinco vezes mais finas que um fio de cabelo, podendo ser até menores que gotículas de substâncias líquidas.

Além disso, essas micropartículas podem ser de variados tipos, caso de compostos químicos orgânicos, ácidos, como sulfatos e nitratos, metais, e até poeira.

A agência americana ainda mostra que o material particulado pode ser dividido em duas categorias:

  • PM2,5: que é formado por partículas cujo tamanho chega até 2,5 micrômetros, podendo ser encontrado em nevoeiros e na fumaça.
  • PM10: formada por partículas de tamanho entre 2,5 e 10 micrômetros, sendo mais encontradas em regiões próximas a indústrias.

Quanto às fontes, o material particulado pode ter origem nos mais diferentes lugares e processos. A queima de combustível é um exemplo de emissão dessas partículas, tanto em aquecedores e caldeiras, quanto em veículos movidos a combustível fóssil, caso de carros, motos, barcos, aviões e tratores.

Vale citar que as fábricas e as centrais elétricas também emitem material particulado durante suas atividades. Por fim, incêndios, atividades agrícolas e hospitais também têm responsabilidade sobre as emissões desse tipo de material.

Controle a combustão para reduzir a emissão de material particulado

Na maior parte dos países já há leis específicas que regulam os níveis de emissões de material particulado, com muitas indústrias adotando modernas tecnologias para diminuir as emissões dessas micropartículas. O Brasil segue a mesma linha e, apesar do processo ser mais lento, já há importantes avanços que visam reduzir esse tipo de emissão.

Porém, para reduzir a emissão de material particulado, essencialmente em caldeiras industriais, é necessário melhorar o controle da combustão que ocorre na caldeira.

Há uma explicação bastante simplista que explica essa possibilidade. Veja!

Quando há um controle da combustão muito bem feito, promovendo melhor queima do combustível, é esperado que altas emissões de CO2 (gás carbônico) sejam lançadas pela chaminé, consequentemente haverá baixa emissão de O2 e de CO (monóxido de carbono).

Neste cenário, quando o resultado da combustão tiver um baixo nível de oxigênio, o nível de ar também tende a ser reduzido, ou seja, um menor volume de gases e de material particulado será lançado à atmosfera pela chaminé.

Esse menor volume de gases indica que a caldeira se comportou para ter menor arraste, reduzindo a emissão de cinzas e de material particulado à atmosfera.

[catálogo-200] Analisador de CO + CO2 + O2 Economia de até 20% de combustível | Baixe grátis | COONTROL

Como controlar a combustão? Os equipamentos COONTROL podem ajudar!

Em qualquer aplicação industrial, a eficiência da combustão pode ser medida através dos gases residuais pós-combustão (O2, CO2 e CO, principalmente) que saem na chaminé das caldeiras.

Neste controle, é desejado que o índice de O2 e de CO que sai da chaminé seja o menor possível. Esse índice indica o quão eficiente é o processo de queima na caldeira, fazendo com que o consumo de combustível seja reduzido e lançando menor volume de material particulado na atmosfera.

Para melhorar o controle destes gases e consequentemente reduzir a emissão de material particulado na chaminé, toda indústria tem a sua disposição dois analisadores de gases bastante interessantes, ambos produzidos com o padrão de qualidade da COONTROL. São eles:

Os analisadores de gases COONTROL 100, que analisa os gases CO2 (dióxido de carbono) e O2 (oxigênio), e COONTROL 200, que faz a análise dos gases CO (monóxido de carbono), CO2 (dióxido de carbono) e O2 (oxigênio) permitem aumentar a eficiência da caldeira, melhorando a relação ar/combustível, reduzindo custos e diminuindo a concentração de gases poluentes lançados à atmosfera.

Além disso, por meio das medições dos gases que saem da chaminé será possível, além de reduzir o consumo de combustível, reduzir o arraste, fazendo com que a caldeira emita menos material particulado e cinzas.

Portanto, se a sua preocupação for reduzir a emissão de material particulado da caldeira da sua empresa, a recomendação inicial é melhorar o controle da combustão. Para isso é aconselhável que você faça uso dos analisadores de gases.

Para saber mais sobre nossos analisadores de gases, clique aqui e conheça todos os modelos. 

Avalie este conteúdo

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.