Conheça-o-histórico-das-emissões-de-gases-poluentes-no-Brasil

Conheça o histórico das emissões de gases poluentes no Brasil

Entre os anos de 1990 a 2016, as emissões de gases poluentes de efeito estufa (GEE) do Brasil passaram de 1,72 bilhão de toneladas de gás carbônico equivalente (GtCO2e) para 2,27 GtCO2e, indicando um aumento de 32%.

As emissões diretas destes gases poluentes são provenientes de fontes poluentes de diversos negócios em todo o território brasileiro, como, por exemplo, a combustão em variadas caldeiras, fornos, veículos e emissões do processo produtivo.

Porém, assim como ocorre em todo o planeta, a poluição no Brasil decorrente das emissões de gases poluentes precisa ser reduzida continuamente, fazendo com que o país se adeque à nova realidade mundial.

Conheça então, qual é o histórico recente das emissões de gases poluentes no Brasil e veja quais são as ações e decisões que o Brasil está priorizando para que sejam reduzidas em todo seu território.

Histórico das emissões de gases poluentes no Brasil

Como já ressaltado, entre 1990 e 2016, as emissões brutas de gases de efeito estufa (GEE) do Brasil tiveram um aumento na ordem de 32%, passando de 1,72 bilhão de toneladas de gás carbônico equivalente (GtCO2e)3 para 2,27 GtCO2e.

Apesar de ter crescido significativamente neste período, a trajetória das emissões de gases poluentes teve períodos distintos que variavam entre o crescimento e a redução. Em 2015, por exemplo, superou 2,78 GtCO2e. Já em 2004, foi de 3,9 GtCO2e, caindo a menos da metade desse valor (1,92 GtCO2e) em 2010.

A partir de 2013 houve uma reversão de tendências, com subida das emissões motivada principalmente pelo aumento do desmatamento na Amazônia e pelo elevado uso de combustíveis fósseis na matriz energética.

Assim como o Brasil, o crescimento no âmbito mundial nessa emissão foi de 35% e se deu de forma quase contínua até 2013, quando desacelerou, permanecendo desde então na casa de 55 bilhões de toneladas CO2e, embora ainda esteja crescendo.

Entre as categorias mais comuns de emissões de gases poluentes do efeito estufa no Brasil, estão a agricultura, a geração de energia, os processos industriais, a produção de resíduos e, as mudanças no uso da terra.

A figura 1 apresentada a seguir mostra a evolução das emissões de gases poluentes no Brasil, além da influência de cada uma das categorias nessas emissões.

Histórico das emissões de gases poluentes no Brasil
http://www.mma.gov.br/comunicacao/item/10570-indc-%20contribui%C3%A7%C3%A3o-nacionalmente-determinada

 

Neste sentido, o setor de geração de energia representa a terceira maior fonte de emissões brutas de GEE no Brasil, mas foi o que mais cresceu no período, com um aumento de quase quatro vezes no período compreendido entre 1970 e 2016.

Políticas públicas para reduzir as emissões de gases poluentes

Apesar das emissões de gases poluentes no Brasil terem se estagnado nos últimos anos, ainda é muito grande a necessidade de o país criar políticas e medidas públicas para que ocorra redução dessas emissões.

Essa implementação se faz fundamental para que nosso país se adeque à nova realidade mundial na redução das emissões.

Dessa forma, no que tange à necessidade de frear as mudanças climáticas do planeta, o Brasil vem dando passos importantes para tentar se adaptar.

Um desses passos é a assinatura de um documento por parte do governo brasileiro que que registra os principais compromissos e contribuições do país para promover a redução das emissões de gases poluentes do efeito estufa.

Esse documento vem sendo conhecido como iNDC (Contribuições Nacionalmente Determinadas Pretendidas) e tem metas ambiciosas. No documento, o Brasil se comprometeu a promover, até 2025, uma redução das suas emissões de gases de efeito estufa em 37% abaixo dos níveis de 2005.

Além disso, indicou uma contribuição indicativa subsequente de redução de 43% abaixo dos níveis de emissão de 2005, em 2030.

A imagem a seguir exemplifica essa meta do governo brasileiro.

Políticas públicas para reduzir as emissões de gases poluentes
http://www.mma.gov.br/comunicacao/item/10570-indc-%20contribui%C3%A7%C3%A3o-nacionalmente-determinada

 

Para alcançar essas metas, o governo brasileiro prometeu adotar políticas em diversas áreas. Na matriz energética, por exemplo, o Brasil pretende assegurar 45% de fontes renováveis enquanto a média global está em torno de apenas 13%.

Para conseguir essa mudança da matriz energética brasileira, a biomassa parece ser uma das medidas mais eficazes para reduzir as emissões de gases poluentes. Ela é considerada uma fonte renovável de energia e vem sendo usada com bastante eficiência na substituição aos combustíveis fósseis, como o petróleo e o carvão mineral.

Além disso, a biomassa é caracterizada por emitir uma quantidade inferior de gases poluentes em comparação às fontes não renováveis, por isso, sua adoção tende a crescer rapidamente nos próximos anos.

O empresário também precisa agir!

Apesar de todas as ações governamentais, é muito importante considerar os esforços para reforçar a economia brasileira, mas ao mesmo tempo, é preciso considerar os impactos sociais e os danos ambientais causados pelas atividades.

Por isso, é preciso pensar em todos esses aspectos simultaneamente para que um desenvolvimento mais sustentável seja alcançado. Nessa conjuntura, o empresário também tem suas responsabilidades para com a redução de suas emissões de gases poluentes ao meio ambiente.

Assim, independente do seu ramo de atuação, o empresário precisa ponderar ações para reduzir suas emissões de gases poluentes ao efeito estufa. Dentre essas ações, a mais importante será aumentar a eficiência de seus processos, principalmente quanto à queima de combustíveis em caldeiras e fornos, sejam eles fósseis ou renováveis, como a biomassa.

Nesse sentido, a busca pela eficiência do consumo de combustível tem relação direta com a medição dos gases presentes na queima. Por isso, vem sendo imprescindível dispor de equipamentos capazes de realizar constantes medições dos teores dos gases durante o processo da queima.

Tais equipamentos possibilitarão as medições dos gases podendo informar, dentre outras coisas:

  • A queima está completa ou não?
  • O calor desprendido na fornalha está sendo bem aproveitado?
  • Quais gases são liberados em maior ou menor quantidade?
  • O volume/quantidade de ar é ideal?
  • Quantidade de fuligem?

Essas medições e análises darão maior respaldo para a tomada de decisão dessas indústrias, possibilitando que elas consigam melhorar, de forma mais eficiente, a queima do combustível e consequentemente a emissão de gases poluentes.

Vale lembrar que a COONTROL oferece os melhores equipamentos analisadores de gases poluentes, além da medição da biomassa. Para conhecer todos esses produtos, acesse nosso site.

Aproveite a importância deste assunto e conheça a história do uso da biomassa no Brasil e em todo o mundo.

  

Analisador de Gases de Combustão | Peça seu orçamento | COONTROL

Avalie este conteúdo

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.